Cheira Rolha - por que cheirar a rolha dos vinhos?

Você provavelmente já deve ter feito alguma piada com as pessoas que cheiram a rolha do vinho, não é verdade? Mas o ato de cheirar a rolha tem um fundamento válido. Não se faz isso para apreciar os aromas do vinho – afinal, ele estará em sua taça em alguns segundos, onde você poderá apreciá-los de forma muito mais eficaz. O ato de cheirar a rolha se faz para identificar se o vinho está comprometido devido a contaminação por uma substância química chamada tricloroanisol, ou TCA.  Explico melhor: a rolha tradicional é feita de cortiça natural, ou seja, madeira, mais especificamente a casca de uma árvore chamada sobreiro. Sendo um elemento orgânico, a cortiça é suscetível a fungos, responsáveis por reações químicas que geram o TCA. Estima-se que até 5% das rolhas de cortiça sejam contaminadas pelo TCA. Quando isto acontece, esta substância é repassada ao vinho, que passa a ter uma cor envelhecida e cheiro de mofo. No mundo vitivinícolo, chama-se o vinho contaminado por TCA de bouchonné, termo em francês oriundo da palavra bouchon (rolha). Portanto, o ato de cheirar a rolha é realizado para identificar se o vinho está saudável ou contaminado antes de se ter a desagradável experiência de ficar sabendo do infortúnio na boca.

É bem verdade que a rolha não é a única fonte do TCA. As barricas de carvalho e tonéis de madeira utilizados na fabricação do vinho também podem ser uma fonte de contaminação. De qualquer forma, a rolha é o primeiro elemento presente na degustação capaz de dar a dica sobre o estado do vinho. Desta forma, a desconfiança pode, então, ser comprovada na análise visual e olfativa. Apesar de não causar nenhum problema à saúde humana, o vinho contaminado por TCA possui as suas características alteradas, não sendo mais agradável para a degustação. Por isso, caso receba um vinho bouchonné em um restaurante, informe o ocorrido ao garçom ou sommelier e eles gentilmente trarão uma outra garrafa do vinho escolhido.

Para ilustrar como o processo de cheirar a rolha pode ser útil, o vídeo abaixo de Daniel Perches, do blog Vinhos de Corte, mostra a surpresa dele ao identificar que o vinho que iria degustar estava bouchonné.