Uva x Propriedade (ou por que a casta da uva não aparece no rótulo?)

Usualmente, nós brasileiros sentimos muito mais facilidade para entender os rótulos de vinhos do novo mundo (Argentina, Chile, África do Sul, Austrália, Estados Unidos, Brasil) do que do velho mundo. Você também sente a mesma coisa?

Isso ocorre porque:

No novo mundo, bebemos a casta.

No velho, bebemos o terroir, a região, a propriedade.

 

Há séculos o vinho faz parte da cultura dos países do velho mundo (França, Espanha, Portugal, Itália, Alemanha) e sempre foram conhecidos pelo nome de seus produtores ou localidade de origem. Até hoje essa cultura existe no interior destes países. A cultura de ostentar nos rótulos o nome da família produtora ou da localidade de onde as uvas são provenientes sempre teve como objetivo enaltecer a qualidade reconhecida daquelas famílias ou regiões e vinhedos renomados. A casta da uva nunca foi algo importante e, no final das contas, não é sinônimo de qualidade.

Já no novo mundo, os produtores são sempre muito novos para serem reconhecidos pelo seu histórico na produção de vinhos, pelo menos quando comparados com famílias e propriedades centenárias do velho mundo. Por isso, os rótulos dos vinhos frequentemente apresentam a casta da uva utilizada na produção na busca de se criar alguma familiaridade junto aos consumidores. Podemos não conhecer o produtor ou a região onde o vinho foi produzido, mas nos sentimos minimamente conectados ao identificar no rótulo o nome de uma casta que nos agrada. No mar de inúmeras opções, a casta da uva acaba sendo uma forma sistemática e gerenciável de navegarmos pelos rótulos.

Barolo Mascarello

Mas não se deixe intimidar pelos complicados rótulos do velho mundo. Eles guardam surpresas maravilhosas. Com um pouco de pesquisa e algumas garrafas vazias, rapidamente será possível se familiarizar com este fantástico mundo de tradições e história.E é claro que o blog Terroirs pode dar uma ajudinha. Confira os artigos Decifrando Rótulos e Terroir, DOs e Classificações de Qualidade e comece hoje mesmo a falar a língua dos rótulos.