Casa Ferreirinha - a vinícola do mítico Barca Velha

Integrada no património da A.A. Ferreira, uma das históricas casas de vinhos do Porto e Douro DOC, cuja primeira referência devidamente documentada surge em 1751 e a que o engenho de Dona Antónia Adelaide Ferreira deu dimensão e renome, a Casa Ferreirinha é hoje a referência máxima de vinhos do Douro. Apresentando um portfólio riquíssimo encabeçado pelo mítico Barca Velha, a sua gama contempla ainda outras estrelas como o Reserva Especial, o Quinta da Leda ou o Callabriga, como também celebrados vinhos de maior volume, casos de Vinha Grande, Papa-Figos e Esteva.

Barca Velha

O seu segredo resulta da concretização do sonho de produzir grandes vinhos do Douro com a mesma filosofia de produção dos melhores Vinhos do Porto. O sonho começou a concretizar-se em 1952 e transformou-se num símbolo que é sinónimo de experiência e qualidade excepcionais. O Barca Velha é assumido pelos conhecedores como o verdadeiro ícone dos vinhos do Douro e de Portugal.

Produzido apenas em anos de colheitas excepcionais, o dia em que se abre um Barca Velha é um dia de comemoração. Um vinho para ser saboreado com companhias muito especiais.

Reserva Especial

Criado em 1960, o carisma e a maturidade deste vinho requerem ocasiões singulares para o seu consumo. Somente anunciado em anos extraordinários, é também por isso uma escolha segura e leal que nos permite saborear o que de melhor se faz no Douro. Como mais ninguém faz. Por isso se chama Especial.

Antónia Adelaide Ferreira

Em 2011 celebraram-se os 200 anos do nascimento de Dona Antónia e a Casa Ferreirinha prestou-lhe justa homenagem com um vinho de 2008, verdadeiramente especial, com uvas representativas de toda a região e uma grande capacidade de evolução em garrafa. Uma honra para o Douro!

Quinta da Leda

Este vinho nasceu em 1995 como um monovarietal de Touriga Nacional, mas em 1997 fez-se um lote que engarrafado dois anos mais tarde sairia para o mercado em 2000, justamente para celebrar a passagem do milénio.

Honra o nome das vinhas onde nasceu e empresta uma nova dimensão aos vinhos do Douro Superior. No local preciso onde o Douro se renova, Quinta da Leda assume a excelência de um vinho contemporâneo pronto para ser saboreado, mas com excelente capacidade de envelhecimento.

Callabriga

Em 1995 surgia um vinho de perfil contemporâneo, intenso e elegante, dominado por fruta madura evidente e madeira bem presente. Surpreende pelo seu estilo irreverente, refletindo a versatilidade e a crescente atualidade dos vinhos do Douro. A sua cor e expressão dão-lhe um toque artístico e cultural que vale a pena experimentar e sentir.

Vinha Grande Tinto

É um vinho clássico e intenso, que remonta a 1960, tipicamente português, com caráter bem mercado a refletir a riqueza e a qualidade das suas origens. Daí o aroma dominado por frutos maduros, notas florais e especiarias que evidenciam a complexidade da sua elaboração.

Vinha Grande Branco

É o primeiro vinho branco da Casa Ferreirinha, lançado com a colheita de 2005. Pioneiro e intenso, revela uma elegância e uma riqueza aromática que lhe garantem um lugar na nossa memória. Um grande branco de lote que é uma revelação a não perder.

Vinha Grande Rosé

Vinha Grande Rosé é uma das mais recentes novidades da Casa Ferreirinha, caracterizado pela aliança entre uma boa intensidade aromática e uma notável acidez que lhe confere uma extraordinária elegância. Vinha Grande Rosé revela no seu melhor todo o potencial da região do Douro na produção de vinhos Rosé de alta qualidade.

Papa-Figos

O mais recente elemento da Casa Ferreirinha, lançado em 2012, nasceu da vindima de 2010 e é sinal de bom augúrio! Um pássaro que na primavera aparece na Ribeira de Aguiar e dá nome a um vinho que evidencia o bom equilíbrio entre a estrutura e a acidez, a elegância e a harmonia.

Planalto

Apesar de ter uma história mais antiga (Planalto foi criado em 1962), a sua integração na gama de Casa Ferreirinha ocorreu apenas em 2011. Um vinho que tem uma frescura e juventude bem evidentes, mas que alia essas características a uma muito boa capacidade de evolução em garrafa. Planalto vai ganhando complexidade com o tempo. Mudando o perfil, mas sem perder qualidade.

Esteva

Até 1984 não existiam no Douro vinhos para serem consumidos todos os dias. Desde então, apenas as colheitas de 1993 e 2004 não deram Esteva. Desde sempre um vinho feito com uvas de zonas altas, para ter mais acidez, para não ser demasiado estruturado nem concentrado. A entrada na gama da Casa Ferreirinha encerra uma elegância e um toque de romantismo que faz jus ao nome que ostenta: o de um arbusto aromático que cresce nas melhores zonas vinhateiras do Douro.

Colheita Tardia

Casa Ferreirinha Colheita Tardia é um vinho branco intenso e marcante, de edição limitada, apresentado somente em anos excepcionais, ideal para iniciar ou terminar uma refeição com um toque de requinte e encanto. Este Colheita Tardia apresenta-se apenas pela segunda vez a público com esta colheita de 2011, disponibilizada no âmbito das especialidades da Casa Ferreirinha, a referência com maior tradição de qualidade no Douro e uma das suas maiores referências mundiais.