Falernia Sangiovese 2013

Na última Expovinis, degustei alguns excelentes rótulos da vinícola Falernia. Um dos que mais impressionaram foi o varietal Sangiovese, safra 2013, mas outros rótulos do portfólio também mostram ótimo custo-benefício.

Falernia Sangiovese 2013

93 pontos. Linda cor rubi com muitos reflexos alaranjados. Muito perfumado, frutado. Equilibrado, redondo, aveludado e persistente. Uma bela surpresa pelo preço.

Preço: R$65,00 em Desenrolha (pesquisa realizada em 15/06/2017).

País / Região: Chile / Vale de Elqui

Castas: 100% Sangiovese

Outros rótulos que merecem atenção:

  • Falernia Syrah 2012 (R$65,00 em Desenrolha, pesquisa realizada em 15/06/2017)
  • Falernia Carménère 2015 (R$65,00 em Desenrolha, pesquisa realizada em 15/06/2017)
  • Falernia Cabernet Sauvignon 2014 (R$65,60 em WineBrasil, pesquisa realizada em 15/06/2017)
  • Falernia Pinot Noir 2015 (R$79,90 em Sonoma, pesquisa realizada em 15/06/2017)
  • Falernia Carménère Reserva 2015 (R$110, em WineBrasil, pesquisa realizada em 15/06/2017)
  • Falernia Syrah Reserva 2009 (R$110, em WineBrasil, pesquisa realizada em 15/06/2017)
  • Falernia Pinot Noir Reserva 2013 (R$120, em WineBrasil, pesquisa realizada em 15/06/2017)

 

Mais detalhes:

  • http://falernia.com

 

MontGras Amaral Sauvignon Blanc 2016

Expovinis 2017 MontGras Amaral Sauvignon Blanc 2016

92 pontos. Sauvignon Blanc está se tornando a uva branca do Chile. Vinho muito fresco, descontraído, muito frutado, com acidez vibrante e estrutura impecável. Lindo exemplar do que o país pode fazer.

Preço: R$59,90 em Angeloni (pesquisado em 11/06/2017).

Mais detalhes:

  • http://www.montgras.cl/en/amaral/
  • http://www.montgras.cl/media/data-sheets/2016-amaral-sauvignon-blanc-eng.pdf

 

Conte di Campiano – Primitivo de Manduria e Apassimento

Conte di Campiano Primitivo di ManduriaConte di Campiano Apassimento

Primitivo de Manduria: 92 pontos (sem notas de degustação).

País / Região: Itália / Puglia

Castas: 100% Primitivo

Graduação Alcoólica: 14,5°

Harmonização: pratos bem temperados, carnes vermelhas e queijos curados.

Temperatura de serviço: 18-22°C.

Preço: R$144,33 em Vinhobr (pesquisado em 12/02/2017). No Rio de Janeiro, é encontrado no Supermercado Mundial por R$69,90.

 

Apassimento: 92 pontos. Cor rubi, muito intensa, fechada. Aromas de frutas vermelhas maduras e madeira. Na boca mostra grande equilíbrio e aspecto aveludado. Forte e intenso. Ligeiramente adocicado, justificando o estilo “apassimento” e gerando agradável sensação de prazer na boca. Taninos redondos e maduros. Falta um pouco de potência, apesar do corpo robusto e estruturado.

Preço: R$144,33 em Vinhobr (pesquisado em 12/02/2017). No Rio de Janeiro, é encontrado no Supermercado Mundial por R$69,90.

País / Região: Itália / Puglia

Castas: 100% Negroamaro passito

Graduação Alcoólica: 14°

Harmonização: massas picantes, carnes vermelhas e queijos curados.

Temperatura de serviço: 18-22°C.

 

Mais detalhes:

  • http://www.contedicampiano.it

 

Palo Alto Reserva I 2013

Palo Alto Reserva I 2013

91 pontos (JS93). Aromas de vinho excepcional, perfumados e elegantes, remetendo a frutas vermelhas maduras e violeta. Na boca mostra bom corpo, bom equilíbrio e boa acidez. Ligeiramente curto e com uma pequena pontada de amargor, mostrando taninos e seleção de uvas quase ideais. Com um pouco mais de potência e aveludado, justificaria os 93 pontos de James Suckling.

País / Região: Chile / Vale do Maulle

Castas: 50% Cabernet Sauvignon, 28% Carménère, 22% Syrah

Graduação Alcoólica: 13,5°

Elaboração: envelhecimento por 8 meses em carvalho francês e americano.

Harmonização: queijos envelhecidos, massas e carnes.

Temperatura de serviço: 16°C.

Preço: R$70,22 em Wineface (pesquisa realizada em 19/10/16).

 

Mais detalhes:

  • http://www.paloaltowines.com/en/vinos/reserva-i/
  • http://www.paloaltowines.com/en/assets/uploads/2016/03/res-1-2013-eng.pdf

 

Alceño Premium 50 Barricas Syrah 2012

Alceno Premium 50 Barricas Syrah 2012

93 pontos (RP 92). Que ótima surpresa. Não esperava encontrar tanto prazer nesta garrafa. O aroma de pimenta é tão intenso que você precisa desbrava-lo para identificar outros aromas menos fragrantes, como frutas vermelhas e carvalho. Na boca o sabor é igualmente intenso e mostra estrutura muitíssimo equilibrada. Nada está fora do lugar. Razoavelmente persistente, muito elegante e bem aveludado. Os taninos são sedosos, mostrando que foram cultivados com amor e atenção. O corpo é muito agradável, nem tão simples, nem tão severo. De fato um achado!

País / Região: Espanha / Jumilla

Castas: 90% Syrah, 10% Monastrell

Graduação Alcoólica: 15°

Elaboração: envelhecimento por um curto período em carvalho francês e americano.

Harmonização: carnes assadas na brasa, queijos e embutidos variados, arroz de pato, paella valenciana, perdiz, massas com molho substanciosos.

Temperatura de serviço: 16 a 18°C.

Preço: R$73,95 em Grand Cru (pesquisa realizada em 17/09/16).

 

Mais detalhes:

  • http://alceno.com/en/wines/8-alceno-syrah-premium-50-barricas.html

 

José Maria da Fonseca Ripanço 2013

JMF Ripanço 2013

92 pontos. Taninos redondos e aveludados, mostrando que foram cuidados com carinho. Apresenta típica sensação apoeirada de alguns vinhos portugueses. Equilibrado e volumoso.

País / Região: Portugal / Alentejo

Castas: Syrah, Aragonês, Alicante Bouschet.

Graduação Alcoólica: 14,5°

Elaboração: fermentação ocorre em cubas de inox a uma temperatura de 28ºC. Envelhecimento por 6 meses em madeira nova de carvalho francês e americano.

Harmonização: carne vermelha e queijos.

Temperatura de serviço: 16 a 18°C.

Preço: R$85,05 em Decanter (pesquisa realizada em 24/08/16).

Mais detalhes:

  • http://www.jmf.pt/index.php?id=378

 

Casa Ferreirinha Esteva Douro 2011

Casa Ferreirinha Esteva Douro 2011

92 pontos. Um dos rótulos de entrada da vinícola Casa Ferreirinha, que não economiza qualidade até mesmo em seu portfólio mais simples. No nariz mostrou um delicioso, jovial e frutado aroma, onde se ressaltaram a cereja e framboesa. Na boca tem equilíbrio e final aveludado, encontrado usualmente apenas em rótulos mais caros. O interessante é que dá para perceber, de forma tímida, porém nitidamente, o que os irmãos mais velhos devem possuir em níveis elevados: potência, robustez e persistência.

País / Região: Portugal / Douro

Castas: Tinta Roriz, Tinta Barroca, Touriga Franca e Tourgia Nacional, em proporções diferentes dependendo da safra.

Graduação Alcoólica: 13°

Elaboração: vinificado essencialmente na Adega da Quinta do Seixo, a partir de uvas provenientes das Quintas do Caêdo, Seixo e Porto, situadas na zona do Pinhão, e ainda de uvas de zonas de maior altitude. Assim se obtém naturalmente o equilíbrio na maturação, desejado para este estilo de vinho com a necessária acidez natural. Os cachos foram vindimados à mão. Após suave desengace e esmagamento, as uvas fermentaram em cubas de aço inox, com suave maceração apoiada por remontagem, sob temperatura controlada a 25° C por forma a preservar os aromas da uva. Depois da maceração, seguiu-se a fermentação maloláctica em condições rigorosamente controladas.

Harmonização: ideal para acompanhar todo tipo de aves, carnes variadas, queijos e alguns peixes.

Temperatura de serviço: 15 a 17°C.

Preço: R$69,99 em Mega Adega (pesquisa realizada em 04/08/16).

Casa Ferreirinha Esteva Douro 2011

Mais detalhes

  • http://www.sograpevinhos.com/marcas/Casa%20Ferreirinha/Casa%20Ferreirinha%20Esteva%20Tinto%202015

 

José Maria da Fonseca Periquita Reserva 2013

José Maria da Fonseca Periquita Reserva 2013

92 pontos. Aromas de frutas vermelhas maduras. Na boca se mostra muito equilibrado, razoavelmente persistente, intensidade e potência tímidas, mas louvável nesta faixa de preço. Final de boca é muito aveludado e sem arestas. Um vinho pronto e com excelente custo-benefício. Um vinho para quebrar paradigmas: não sou grande fã do Periquita, mas saindo do rótulo básico, a coisa fica boa.

País / Região: Portugal / Península de Setúbal

Castas: 54% Castelão, 28% Touriga Nacional, 18% Touriga Francesa

Graduação Alcoólica: 13,6°

Elaboração: fermentação ocorre durante 7 dias a 28ºC, com maceração total. Envelhecimento por 8 meses em madeira nova e usada de carvalho francês e americano.

Harmonização: carnes vermelhas ou queijos.

Temperatura de serviço: 14°C.

Preço: R$54,90 em Super Adega (pesquisa realizada em 02/07/16).

 

Mais detalhes

  • http://www.jmf.pt/index.php?id=65
  • http://www.jmf.pt/pdf/pt/PRV_P.PDF

Radici Taurasi Riserva DOCG 2006

Radici Taurasi Riserva DOCG 2006

92 pontos. Que baita vinho! 30 meses em tonéis de carvalho esloveno, mais 36 meses em garrafa antes de ser lançado ao mercado. Ou seja, um vinho que já nasce velho. A cor corrobora o estilo: rubi médio com reflexos alaranjados. Aromas de frutas do bosque, carvalho, pimenta, baunilha. Na boca, mostra potência, equilíbrio, persistência e acidez na medida para trazer alguma descontração. A estrutura complexa se mistura ao tanino aveludado, gerando uma estrutura fantástica, com sabor de tradição italiana.

País / Região: Itália / Campania

Castas: Aglianico

Elaboração: densidade de 3.500 vinhas/hectare, gerando 4.500 kg/hectare de uvas, a uma taxa de 1,3 kg/vinha. Colheita manual, seguida de clássica vinificação de vinho tinto e longa maceração em temperatura controlada.

Harmonização: queijos duros, trufas, cogumelo porcini, ragout, pratos com molhos com longos períodos de cozimento, carnes vermelhas cozidas e pratos apimentados.

Temperatura de serviço: 18°C.

Preço: R$373,63 em Mistral (pesquisa realizada em 18/06/16).

 

Mais detalhes

  • http://www.mastroberardino.com/en/radici-taurasi-riserva-docg-vino-rosso/
  • https://www.mistral.com.br/produto/radici-taurasi-riserva-docg-2006-mastroberardino-1

 

Amarone Classico Riserva Sergio Zenato DOC 2008

Zenato Amarone della Valpolicella Riserva Classico 2008

92 pontos. Vinhaço! Potente de uma forma sedutora, como uma linda mulher dançando de vestido rodado vermelho. Chama a atenção e tem o mundo a seus pés. A potência já se sente no nariz, lembrando ao fundo o teor alcoólico elevado do Porto. Aromas de ameixa e frutas secas. Encorpado, porém macio e aveludado, a um passo da maciez dos vinhos adocicados.

País / Região: Itália / Veneto

Castas: 80% Corvina, 10% Rondinella, 10% Oseleta

Graduação Alcoólica: 16,5°

Elaboração: produzido apenas em anos excepcionais. As uvas são mantidas em pequenas bandejas, de 3 a 4 meses, sofrendo ressecamento. Sofrem desengano, pré-maceração e prensa em janeiro. A fermentação em contato com as cascas dura de 15 a 20 dias, seguida de envelhecimento em barris de carvalho esloveno de 7.500 litros por 48 meses. O envelhecimento é finalizado com 1 ano em garrafa antes de ser lançado ao mercado.

Harmonização: carnes assadas, carnes de caça, carnes grelhadas e queijos envelhecidos. Perfeito como vinho de meditação.

Amarone Classico Riserva Sergio Zenato DOC 2008

 

Mais detalhes

 

Paul Jaboulet Aîné Côtes-du-Rhône Parallèle 45 Rouge 2012

Paul Jaboulet Aîné Côtes-du-Rhône Parallèle 45 Rouge 2012

92 pontos. Aromas elegantes, frutado, remetendo a frutas vermelhas maduras. Belíssimo corpo e estrutura, sabor pulsante e envolvente. Elevada acidez em harmonia com taninos pulsantes. Carvalho quase passa desapercebido. Muitas sensações e sabores em um corpo descontraído. Taninos redondos, em nível capaz de levá-lo a um belo amadurecimento pelos próximos cinco anos. Jovem e sofisticado. Um belo exemplo de como ser “entry level”. Ótimo custo-beneficio.

País / Região: França / Côtes-du-Rhône

Castas: 50% Grenache, 40% Cinsault, 10% Syrah

Graduação Alcoólica: 14°

Elaboração: vinhedos localizados perto do Paralelo 45° Norte. Idade metade de 25 anos. Rendimento de 45hl/ha. Terrenos de pedrinhas com solo argilo-calcário e seixos. Vinho resultado de uma longa maceração com as cascas. Fermentação alcoólica longa em cuba de aço inoxidável com temperaturas controladas. Maturado em tanques de aço inoxidável.

Harmonização: carnes vermelhas, de caça e queijos.

Temperatura de serviço: 16 a 18°C

Onde comprar: R$92,81, meia garrafa, em Mistral (pesquisa realizada em 22/04/2016).

 

Mais detalhes

  • http://www.jaboulet.com/Website/site/eng_lesgammes_lesgrandsclassiques_parallele45rouge_description.htm

 

SA Prum Riesling Solitär Trocken 2013

SA Prum Riesling Solitär Trocken 2013

94 pontos. Levemente frutado no nariz, mostrando frutas cítricas e notas florais remetendo a margaridas. Na boca é uma explosão de sabores. Uma relação corpo-intensidade ímpar. A estrutura é leve, diminuta, mas gera um ataque e sabores marcantes. Alinha jovialidade, frescor e potência. Um vinho surpreendente.

País / Região: Alemanha / Mosel

Castas: Riesling

Graduação Alcoólica: 11°

Elaboração: solos de ardósia, que permitem produzir um vinho da casta Riesling bastante frutado e mineral. Colheita manual, seleção manual cuidadosa de cachos, desengaço, maceração a fio por algumas horas, prensagem delicada, fermentação lenta em baixa temperatura para garantir a integridade dos sutis aromas e sabores da Riesling.

Harmonização: peixes delicados, frutos do mar (camarão e lula), schnitzel (carne sem osso, fina e batida, empanadas de porco, vitela, cordeiro, frango, vaca ou peru), massas com frutos do mar.

Temperatura de serviço: 9 a 11°C

Onde comprar: R$186,50 em Vindame (pesquisa realizada em 21/04/2016).

 

Mais detalhes

  • http://vindame.com.br/produto/solitar-2013/
  • http://www.sapruem.com

 

Zorzal Terroir Único Malbec 2013

Zorzal Terroir Único Malbec 2013

91 pontos (92 RP, 92 GD, 92 TIM). Depois de diversas avaliações com pontuações elevadas, a expectativa era grande. Tenho certeza que se fosse uma degustação às cegas, este vinho seria uma ótima surpresa pelo preço que tem. O diferencial dele fica pela ausência da madeira, identificada no nariz e na boca. Lendo sobre o vinho, descobri que a decisão pela ausência de amadurecimento em carvalho se deu para que o terroir e particularidades da Malbec fossem ressaltados. O resultado é interessante, de fato a madeira não faz nenhuma falta e o que se nota são sabores particulares da região de Tupungato, em Mendoza.

País / Região: Argentina / Gualtallary, Tupungato (Mendoza)

Castas: 100% Malbec

Elaboração: vinhedos de 15 anos plantados em Gualtallary, Tupungato, a 1.350 metros acima do nível do mar, com variação térmica de 15 a 18°C entre o dia e a noite. A maceração à frio dura 15 dias para que os aromas e sabores de frutas frescas sejam intensificados. Em seguida, a fermentação ocorre utilizando-se leveduras indígenas, atingindo temperatura máxima de 28°C. Por fim, o amadurecimento é realizado em tanques de concreto.

Harmonização: carne vermelha, massa com molho intenso e linguiça temperada com ervas finas.

Onde comprar: R$83 em Gran Cru (safra 2014, pesquisa realizada em 26/01/2016).

 

Mais detalhes

  • http://www.zorzalwines.com/en/tech_sheets/TERROI_UNIC_MAl.pdf

 

Château Vieux Moulin Les Ailes 2012

Château Vieux Moulin Les Ailes 2012

92 pontos (93RP). Rubi intenso, aromas de frutas vermelhas maduras, leve carvalho, aromas animais (couro, lácteo) e vegetais (aspargos, pimentão verde). Na boca o principal adjetivo que vem à cabeça é expansivo. Volumoso, harmônico e aveludado, mas de uma forma bem europeia, elegante. Nada como os rústicos malbecs argentinos. Boa acidez, mais longo que a média geral. Bom ataque, de forma a sentirmos as frutas pulsante. Taninos redondos, nada de amargor. Provavelmente não filtrado, devido às borras na garrafa.

País / Região: França / Corbières AOC (Languedoc)

Castas: Carignan, Grenache , Mourvèdre

Graduação Alcoólica: 14,5°

Temperatura de serviço: 16 a 18°C

Harmonização: arroz de rabada, ossobuco, pato assado, cassoulet, queijos de massa dura, embutidos.

Onde comprar: R$156 em Grand Cru (pesquisa realizada em 22/01/2016).

 

Mais detalhes

  • http://www.vieuxmoulin.net/epages/70946090-fc41-11de-b83c-000d609a287c.sf/fr_FR/?ObjectPath=/Shops/70946090-fc41-11de-b83c-000d609a287c/Categories/Nos_Cuvees/Les_AOP/Les_Ailes1/Les_Ailes

 

Ruffino Tenuta Greppone Mazzi Brunello di Montalcino 2006

Ruffino Tenuta Greppone Mazzi Brunello di Montalcino 2006

91. Usando as palavras do amigo quem trouxe a garrafa para o jantar: “Brunello safado!”. Um pouco longe da opulência dos irmãos, mas ainda assim um Brunello. O prazer já começa no visual: um granada já despontando para o alaranjado. No nariz não mostra muitos aromas marcantes, mas percebe-se a cereja e framboesa. Na boca é muito bem equilibrado, suave e macio, mas sem a sofisticação e potência percebida em outros rótulos.

País / Região: Itália / Brunello di Montalcino DOCG

Castas: Sangiovese Grosso, chamada de Brunello na região de Montalcino

Graduação Alcoólica: 14,5°

Elaboração: apenas as melhores uvas foram colhidas à mão em meados de outubro, através de diversas passagens pelo vinhedo para que os cachos fossem colhidos no estágio perfeito de maturação. A safra de 2006 foi considerada clássica para os padrões da Toscana, produzindo uvas completamente maduras e saudáveis, atingindo a produtividade de 6 toneladas por hectare. A fermentação alcoólica ocorreu durante duas semanas em tanques de aço inox à temperatura controlada de 28-30°C, seguida de maceração das cascas por 10 dias. Após fermentação malolática, o vinho amadureceu em cascos de carvalho de 30-60 hectolitro por 36 meses. Em seguida, o vinho permaneceu em tanques de aço inox por mais 6 meses, foi engarrafado e envelheceu em garrafa por um mínimo de 12 meses antes de ser lançado ao mercado.

Harmonização: queijo Pecorino e Taleggio, costeleta de cordeiro, peito de pato com cogumelos Portobello, massa ao ragu de javali.

Outras avaliações: 91 Pontos, safra 2008 – The Wine Advocate, 93 Pontos, safra 2007 – James Suckling, 93 Pontos, safra 2006 – Wine Spectator.

 

Mais detalhes

  • http://www.ruffino.com/us/OurWines/EstateWines/GrepponeMazzi/index.htm?countryselect=Brazil%7C18&month=5&day=27&year=1980
  • http://www.ruffino.com/cs/groups/public/documents/webcontent/ecm2149887.pdf

 

Grans Fassian Trittenheimer Apotheke Auslese Riesling 2009

grans fassian trittenheimer apotheke auslese riesling 2009

92. Que sofisticação! Um vinho de sobremesa com doçura elegante e gentis pontadas de acidez. É coisa de louco perceber como as duas dimensões vão se combinando com extrema harmonia, sem que uma marque presença de forma a sobrescrever a outra. A cor é de um lindo dourado claro e no nariz nota-se aromas cítricos, abacaxi, mel e querosene.

País / Região: Alemanha / Mosel

Castas: Riesling

Graduação Alcoólica: 

Elaboração: colheita manual seletiva de uvas muito maduras em meados de outubro. Vinhedos trabalhados com baixa produtividade de 40hl/ha. Fermentação lenta em tanques de inox com temperaturas controladas entre 12 e 15ºC, por mais de 8 semanas.

Harmonização: perfeito aperitivo para o final de tarde num jardim. Excelente com uma seleção de queijos de massa mole com crosta lavada (munster, pont-l’évêque, livarot, époisses etc.), massa prensada (reblochon) e queijos azuis menos pungentes. Sobremesas à base de frutas assadas: torta de maçã aromatizada com zestes de limão.

Temperatura de Serviço: 1o°C

Preço: R$255,02 (safra 2010, Decanter, em 15/11/2015)

 

Mais detalhes

  • http://www.grans-fassian.de/en/weine/2011-trittenheimer-apotheke-riesling-auslese/
  • http://www.decanter.com.br/grans-fassian-riesling-auslese-trittenheimer-apotheke-2010-750ml/p00103210

 

Künstler Hochheim Hölle Erstes Gewächs 2009

künstler hochheim hölle erstes gewächs 2009

91. Cor dourada clara, linda. Aromas de mel, abacaxi e querosene. Na boca mostra uma bela suavidade, com sabores em diferentes camadas. Muito equilibrado, robusto, macio, encorpado, elegante e sofisticado. O elevado açúcar residual dá ao vinho a sensação identificada em vinhos de sobremesa: muita maciez e volume.

País / Região: Alemanha / Rheingau – Hochheim

Castas: Riesling

Caracteristicas Climáticas: clima mediterrâneo diretamente influenciado pelas montanhas Taunus, que conferem proteção aos frios ventos vindos do norte. Cortado pelo paralelo 50°, a exposião dos vinhedos e a proximidade com os rios Main e Reno, são fundamentais para o amadurecimento das uvas.

Caracteristicas do Solo: solos predominantemente de argila pesada.

Elaboração: colheita das uvas no ponto ótimo de maturidade, em videiras com 30 anos de idade média. Vinhedos com moderados rendimentos de 45 hl/ha. Fermentação lenta em tanques de inox com temperatura controlada a 18°C. Após esse processo o vinho permanece sobre as lias de 4-6 semanas antes de ser engarrafado.

Harmonização: Salmão defumado ao creme de raiz forte; Linguado grelhado, deglaçado com vinho riesling e finalizado com trufas brancas; Lagostins à tailandesa; Perfeito acompanhando cum caviar ostra.

Künstler Hochheim Hölle Erstes Gewächs 2009 Mapa

 

Mais detalhes em:

  • http://www.weingut-kuenstler.de/en/vineyard-sites/hochheim/hoelle.html
  • http://www.decanter.com.br/franz-kunstler-riesling-erstes-gewachs-holle-trocken-2009-750ml/p00103709

 

Chateau Ste. Michelle Eroica Riesling 2011

Chateau Ste. Michelle Eroica Riesling 2011

92. Nem uma corrida de turfe seria mais acirrada do que a briga entre a maciez e a acidez nesse Riesling. Que sensação impressionante sentir a suavidade e a maciez do açúcar e logo em seguida as pontadas ácidas, e depois a maciez novamente, e depois a acidez… No nariz mostrou pêssego e minerais em um aroma pouco intenso. Na boca tem um bom corpo, uma estrutura muito bem elaborada, acidez fina e elegante. Equilibradíssimo, nenhum amargor na garganta. Sabor persistente e intenso. Um vinho realmente marcante!

País / Região: EUA / Washington state

Eroica é fruto da joint venture da famosa vinícola alemã Dr. Loosen e do Chateau Ste. Michelle, que possui sua história ligada ao estado de Washington desde 1912. Um vinho fruto da mescla do velho com o novo mundo.

Castas: Riesling

Graduação Alcoólica: 11°

Elaboração: para proteger a intensidade do sabor, as uvas foram colhidas a noite quando a temperatura no vinhedo é mais amena. As uvas foram levadas diretamente para a prensa, evitando assim a possível perda de frescor devido a uma maceração antecipada. Uma fermentação fria foi responsável por criar a integração da fruta, açúcar e acidez. Leveduras orientadas a potencializar o sabor frutado foram utilizadas, assim como uma fermentação lenta. Ernst Loosen e Bob Bertheau buscam as uvas para produzir o Eroica de dezenas de pequenos vinhedos, cada um com suas pequenas diferenças e características, resultando na complexidade encontrada no corte final.

Harmonização: pratos asiáticos, cozinha indiana, carangueijo e scallops.

 

Mais detalhes em:

  • https://www.ste-michelle.com/our-wines/2011-eroica-riesling
  • https://www.ste-michelle.com/files/FileResource/10608/ERO_FS_11_Eroica.pdf

 

Roquevale Reserva 2006

Roquedal Reserva 2006

92. Apimentado, sensual, com forte presença de outras especiarias. Muito equilibrado, com grande corpo e persistência. Merece cada ponto.

País / Região: Portugal / Alentejo

Castas: Tinta Caiada, Alicante Bouschet e Touriga Nacional

Elaboração: as uvas, cuidadosamente selecionadas, sofrem maceração e são vinificadas em cubas de aço inox, com remontagem automática e controle de temperatura de fermentação a 28- 30oC. A fermentação ocorre, pela adição de leveduras selecionadas, durante cerca de cinco a sete dias seguindo-se um período durante o qual ocorre a fermentação maloláctica, para estabilização do vinho. O lote estagiou 12 meses em barricas de carvalho francês. Para preservar o seu carácter, não foi sujeito a estabilização pelo frio, pelo que podem aparecer sedimentos naturais.

Harmonização: cabrito assado, vaca de confecção assada ou grelhada, borrego assado no forno, pratos de caça de pêlo, doces conventuais, queijos de pasta dura e paladar forte: Castelo Branco picante, da Ilha, Roquefort ou Gruyére.

 

Mais detalhes em:

  • http://www.roquevale.pt/v_roquevalereserva_tinto.htm
  • http://www.roquevale.pt/download_fichas_tecnicas/ft_roquevale_reserva_tinto.pdf

 

Mouchão Ponte das Canas 2009

Mouchão Ponte das Canas 2009

91. Certa vez em Londres, um colega disse que tinha um “sweet teeth”, expressão inglesa para aqueles que gostam de uma guloseima. De repente é por isso que este Ponte das Canas me agradou tanto. Sua doçura é muitíssimo agradável, em harmonia com o álcool, caninos e acidez. Um belíssimo vinho.

País / Região: Portugal / Alentejo

Castas: Alicante Bouschet, Touriga Nacional, Touriga Franca e Syrah

Elaboração: este vinho é a última criação da Herdade do Mouchão e resulta de um lote de uvas seleccionadas de Alicante Bouschet, Touriga Nacional, Touriga Franca e Syrah. Depois da fermentação em lagares, com tradicional pisa a pés, o vinho é trasfegado para barricas novas de carvalho francês de 300 litros onde estagia por um período mínimo de 12 meses. Após o seu engarrafamento estagia durante 12 meses em ambiente climatizada antes de ser lançado.

 

Mais detalhes em:

  • http://mouchao.pt/pt/pontedascanas

 

Cartuxa Reserva Tinto 2009

Cartuxa Reserva Tinto 200991. Já havia degustado o Cartuxa Colheita, irmão mais novo deste aqui, mas não chegou a arrancar os mesmos suspiros. Este Reserva mostra maior maturidade e muito mais equilíbrio. Não chega a ser um senhor de idade, envelhecido, pois sua acidez transmite grande frescor e jovialidade. O diferencial fica pelos aromas que saltam da taça para as narinas quase como uma coreografia. Vinho supimpa!

País / Região: Portugal / Alentejo

Castas: Alicante Bouschet e Aragonez

Graduação Alcoólica: 14,5%

Elaboração: produzido a partir de castas criteriosamente selecionadas, Alicante Bouschet e Aragonez, plantadas nas vinhas mais velhas da Fundação Eugénio de Almeida. Quando as uvas atingem o estado de maturação ideal são colhidas e transportadas para a adega, onde se inicia o processo tecnológico com desengace total e ligeiro esmagamento. Em seguida, as uvas são fermentadas separadamente, em cubas de inox e balseiros de carvalho francês, à temperatura de 27oC, a que se segue maceração de 15 dias. Estagiou durante 15 meses em barricas novas de carvalho francês e 12 meses em garrafa.

Serviço: 16 a 18oC

 

Mais detalhes em:

  • http://www.cartuxa.pt/pt/product/3/18#
  • http://www.cartuxa.pt/app_files/cartuxa_tinto_reserva_2011_pt.pdf

 

 

Cartuxa Branco 2011

Cartuxa Branco

93. Ahhh Eugênio de Almeida. Que vinícola! Uma surpreendente capacidade de fazer bons vinhos. Muita estrutura, complexidade que dá banho em muitos tintos. Uma pitada de acidez torna a experiência refrescante, compensando os sabores mais maduros e sérios que vão se desdobrando aos poucos. Cada gole rende uma eternidade de sabores , intensos e persistentes. As camadas de sabor, presentes apenas nos vinhos tops, são facilmente identificadas.

País / Região: Portugal / Alentejo

Castas: Antão Vaz e Arinto

Graduação Alcoólica: 13%

Elaboração: quando as uvas atingem o estado de maturação ideal, são colhidas e transportadas para a adega, onde se inicia o processo tecnológico com desengace total e ligeiro esmagamento. Em seguida as uvas são fermentadas em cubas de inox, à temperatura controlada de 16oC. Segue-se estágio sobre borras finas durante doze meses com bâtonnage regular.

Serviço: 10 a 12oC

 

Mais detalhes em:

  • http://www.cartuxa.pt/pt/product/3/18#cartuxa

 

Cortes de Cima Hans Christian Andersen 2010

Cortes de Cima Hans Christian Andersen 2010

91. Picante, sedutor, exótico. Estou desenvolvendo um especial apreço pela Syrah, que traz as especiarias, os condimentos, os aromas picantes e sensuais. Muito equilibrado, intenso e persistente. Um baita vinho. Ganhava mais um pontinho de o Sr. Hans Christian não fosse tão feio (rsrs).

País / Região: Portugal / Alentejo

Castas: Syrah

Graduação Alcoólica: 14%

Elaboração: produzido exclusivamente a partir da casta Syrah. As uvas foram rigorosamente selecionadas, colhidas apenas aquelas que estavam em um ótimo estado de maturação. Foram fermentadas sem engaço, a temperaturas controladas, e regulares remontagens, com um amplo período de maceração das películas para melhorar o aroma de frutos e conseguir um bom equilíbrio e estrutura de taninos.

Amadurecimento: 8 meses em carvalho francês e americano.

 

Mais detalhes em:

  • http://cortesdecima.com/pt/shop/avin5643201457638/
  • http://www.cortesdecima.com/downloads/Wine/2010-HCA-Nota%20de%20Vindima.pdf

 

Adega de Borba Cinquentenário Grande Escolha 2003

Adega de Borba Cinquentenario 2003

92. Tão aveludado como carinho de mãe, como um abraço fraterno. Aromas de frutas do bosque e azeitonas pretas. Na boca é muito equilibrado, com excelente acidez, gerando frescor e alegria.

País / Região: Portugal / Alentejo

Castas: Alicante Bouschet, Cabernet Sauvignon e Syrah

Graduação Alcoólica: 14%

Elaboração: estagiou 12 meses em barricas novas de carvalho francês e americano e 24 meses em garrafa na cave. Produzido em memória aos 50 anos de existência da vinícola, elaborado com base na escolha dos melhores vinhos produzidos na colheita, para a comemoração da ocasião.

 

Mais detalhes em:

  • http://www.adegaborba.pt
  • http://www.alentejana.com.br/produto.php?c=529

 

Quinta da Manoella Vinhas Velhas 2010

Wine & Soul Quinta da Manoella Vinhas Velhas 2010

92. Adoro vinho com nome de mulher, é sedução já no rótulo. Aromas contidos, mas na boca é possível experimentar um sopro de sabores que vão aparecendo em camadas. Percebe-se as características das uvas em cada porção do vinho na boca. Elegância, corpo e persistência diferenciados.

Produtor: Wine & Soul

Região / País: Douro, sub-região Cima Corgo, Vale do Pinhão, Vale de Mendiz / Portugal

Castas: vinha centenária com mistura de cerca de 30 castas indígenas do Douro.

Graduação Alcoólica: 14,5%

Elaboração: a vindima realizou-se em perfeitas condições atmosféricas na segunda semana de setembro. As uvas devidamente selecionadas e desengaçadas fermentaram em lagar com pisa a pé durante 10 dias. O estágio e fermentação malolática decorreu em barricas de carvalho francês durante 20 meses. Produção de 3.300 garrafas 750 ml, 200 magnums, 10 jeroboams.

 

Mais detalhes em:

  • Ficha Técnica
  • http://www.vivino.com/wineries/pt-wine-and-soul/wines/manoella-vinhas-velhas-2010

 

Pintas Character 2011

Pintas Character 2011 Douro Portugal

91. Complexo, multi-camadas, muito bem equilibrado, mas o pequeno amargor no final de boca faz ele perder alguns pontos. Produzido com mais de 20 castas (!!!) e pisa à pé. Levou 94 na WE e 90 na WS.

Região / País: Douro, sub-região Cima Corgo, Vale do Pinhão, Vale de Mendiz / Portugal

Castas: vinhas velhas com cerca de 30 castas autóctones do Douro.

Graduação Alcoólica: 14,5%

Elaboração: vindima realizou-se em perfeitas condições atmosféricas na segunda semana de setembro. As uvas devidamente selecionadas e desengaçadas fermentaram em lagar com pisa à pé durante 10 dias. O estágio e fermentação maloláctica decorreu em barricas de carvalho francês durante 18 meses. Produção de 10.500 garrafas 75cl, 220 magnums e 20 jeroboams.

 

 

Mais detalhes em:

  • Ficha Técnica
  • http://www.vivino.com/wineries/pt-wine-and-soul/wines/douro-pintas-character-2011

 

Vinhos Excepcionais: Rosso di Montalcino e Barolo 2010 (por Decanter, abril 2015)

A revista Decanter aponta os seguintes vinhos excepcionais (notas de 95 a 100 pontos) em sua edição de março de 2015:

  • Rosso di Montalcino
    • Biondi-Santi, Tenuta Greppo, 2011. 95 pontos.
    • Marchesi de’ Frescobaldi, Campo ai Sassi 2013. 95 pontos, £16.95 (na Inglaterra).
  • Barolo 2010
    • Brezza, Sarmassa, Barolo. 95 pontos, £36.67-43.26.
    • Cascina Adelaide, Fossati, La Morra. 95 pontos, £39-47.
    • Giovanni Rosso, Cerretta, Serralunga d’Alba. 95 pontos, £28.46-56.95.

Naturalmente, encontrá-los no Brasil não será tarefa fácil, muito menos por um preço acessível. Se tiverem sorte, deixem um comentário aqui no blog.

 

Malondro Montsant Xabec 2008

Malondro Montsant Xabec 2008 Espanha

91. Muito bom vinho. Pelo preço, é um achado! Rubi com reflexos alaranjados, o que é sempre bom de ver. Os aromas são tradicionais: frutas do bosque, carvalho e tabaco. Na boca é muito equilibrado, desce super redondo. Se tivesse mais corpo ou um aveludado ainda mais potente, seria um vinho ícone.

Região/Denominação: Montsant, Espanha.

Uvas: Garnacha, Samsó (Carignan), Syrah.

Graduação Alcoólica: 14%

Elaboração: fermentação malolática feita em barris de carvalho de segundo uso. Envelhecimento feito em 10% de barris novos e o restante em barris de segundo e terceiro uso.

 

Mais detalhes em:

  • http://www.malondro.es
  • http://www.malondro.es/pdf/1418981825_4.pdf

 

Vinhos Excepcionais: Rioja e Rieslings da Alsácia (por Decanter, março 2015)

A revista Decanter aponta os seguintes vinhos excepcionais (notas de 95 a 100 pontos) em sua edição de março de 2015:

  • Rioja
    • Baron de Ley, Reserva 2010. 95+ pontos, £12,49 (na Inglaterra).
    • Garcia Carrion, Pata Negra, Reserva 2010. 95 pontos, £9,49.
  • Rieslings da Alsácia
    • Domaine Zind Humbrecht, Clos-St-Urbain, Rangen de Thann Grand Cru. 96 pontos, £42-92.
    • Charles Sparr, Schoenenbourg Grand Cru. 95 pontos.

Naturalmente, encontrá-los no Brasil não será tarefa fácil, muito menos por um preço acessível. Se tiverem sorte, deixem um comentário aqui no blog.