Torreon de Paredes Cabernet Sauvignon 2012

Torreon de Paredes Cabernet Sauvignon 2012

84. Aromas de frutas do bosque e ameixa. Na boca a acidez desponta, tornando o vinho ligeiramente desequilibrado. O final de boca mostra certo amargor, sinal de taninos ainda a amadurecer.

País / Região: Chile / Rengo (Vale do Alto Cachapoal)

Castas: 100% Cabernet Sauvignon

Graduação Alcoólica: 13,5°

Elaboração: no Vale de Cachapoal, localizado no Vale Central do Chile, encontra-se a cidade de Rego, situada entre montanhas que tornam a região mais árida e fria do que o resto do Vale. As uvas são colhidas no final de março em seu amadurecimento máximo e a fermentação ocorre em tanques de aço inox.

Temperatura de serviço: 16 a 18°C

Harmonização: carne vermelha grelhada, cordeiro, fondue de carne ou queijo.

 

Mais detalhes

  • http://www.torreon.cl/english/VR_cs.html

 

Torreon de Paredes Carménère 2012

Torreon de Paredes Carménère 2012

85. Aromas fragrantes de framboesa, cereja e azeitona preta. Leve, com algumas pontas soltas, pouco corpo e um pouco de amargor no final de boca.

País / Região: Chile / Rengo (Vale do Alto Cachapoal)

Castas: 100% Carménère

Graduação Alcoólica: 13,5°

Temperatura de serviço: 16 a 18°C

Harmonização: carnes brancas, peru, codorna, porco, peixe grelhado e massas.

 

Mais detalhes

  • http://www.torreon.cl/english/VR_car.html

 

Il Costone Romagna DOC Sangiovese Superiore 2011

Costone Romagna Sangiovese Superiore 2011

85. Correto e razoavelmente equilibrado, mas sem aquele algo a mais. Estrutura e corpo pouco expressivos, com um leve amargor no retrogosto.

País / Região: Itália / Romagna DOC

Castas: 100% Sangiovese

Graduação Alcoólica: 13,5°

Elaboração: colheita manual realizada no início de setembro, seguida de maceração realizada a 26°C por 25 a 30 dias, fermentação alcoólica e malolática em tanques de inox. Amadurecimento entre 12 e 14 meses em grandes cascos de carvalho esloveno, seguido de refinamento por 2 meses em tanques de inox e, por fim, de 4 a 6 meses em garrafa. Produção anual de cerca de 20.000 garrafas.

Harmonização: pratos italianos típicos, como massas, Fagioli e Galletto alla Cacciatora.

Temperatura de Serviço: 16 a 18°C

 

Mais detalhes

  • http://www.cantinabraschi.com/en/cru/il-costone-romagna-doc-sangiovese-superiore/
  • http://www.cantinabraschi.com/wp-content/uploads/2015/10/BRASCHI_Scheda-ENG-3.7-Il-Costone-Sangiovese-Superiore.pdf

 

Vinedo de los Vientos Tannat 2011

Vinedo de los Vientos Tannat 2010

84. Este é o primeiro Tannat aqui do blog. Correto, mas pouco agradável. Foi necessário tomar toda a garrafa para que a criatividade pudesse ser aflorada a ponto de ser possível descrever a sensação de poeira, pó que o vinho transmite na boca. O vinho é filtrado, naturalmente, mas a sensação de pó na língua é nítida. Foi um começo com pé esquerdo, mas a pesquisa continuará até que a correta e digna descrição dos vinhos feitos com esta uva “uruguaia” possa ser feita.

País / Região: Uruguai / Atlántida, Canelones

Castas: Tannat

Graduação Alcoólica: 13,5°

Elaboração: as uvas, colhidas maduras, sofreram maceração à frio por cinco dias à temperatura de 6°C para que os sabores frutados pudessem ser extraídos, seguida de fermentação à 26°C por sete dias com remontagem diária. 30% do vinho foi então amadurecido por três meses em barris novos de carvalho francês enquanto que os 70% restantes foram mantido em tanques de aço inox.

Temperatura de Serviço: 18°C

 

Mais detalhes

  • http://www.vinedodelosvientos.com/web/images/wines/tannat-big.jpg

Condes de Barcelos Vinho Verde Rosé 2012

Condes de Barcelos Vinho Verde Rosé 2012

85. Aromas marcantes de cereja e framboesa. Bem equilibrado e com acidez controlada. Muita diversão e alegria no copo, o típico vinho de piscina. Bem gelado, harmoniza com a preparação da comida, momento onde o fogão deixa a cozinha quente e só queremos nos refrescar sem dar tanta atenção ao que estamos bebendo.

País / Região: Portugal / Vinho Verde D.O.C. (Barcelos)

Castas: Vinhão (60%), Borraçal (30%) e Espadeiro (10%)

Graduação Alcoólica: 9,5°

Elaboração: cor salmão obtido a partir das uvas tintas, vinificadas pelo método clássico dos vinhos brancos.

Harmonização: é o acompanhamento perfeito para aperitivos, refeições ligeiras, saladas, grelhados e para a generalidade da cozinha internacional.

Temperatura de Serviço: entre 8 e 10°C

Preço: R$46,60 (safra 2013, Wine Brasil, em 03/12/2015)

 

Mais detalhes

  • http://adegabarcelos.pt/pt/vinho-rose-condes-de-barcelos
  • Ficha técnica

 

Luigi Bosca Las Compuertas Riesling 2007

Luigi Bosca Las Compuertas Riesling 2007

85. Circunstância é tudo. Como já dizia Einstein, tudo é relativo. Depois de uma degustação de seis fantásticos Riesling, este aqui teve suas imperfeições ressaltadas. Gosto metálico, bastante desequilibrado entre a acidez e açúcar. Poucos aromas e final de boca um pouco amargo. Se tiver a oportunidade, provo ele novamente sozinho, sem a interferência de outros gigantes.

País / Região: Argentina / Mendoza (Las Compuertas)

Castas: Riesling

Graduação Alcoólica: 13,1°

Elaboração: a produção é de menos de 6.000 kg por hectare, o equivalente a 1.000 gramas por planta, e 0,9 plantas são necessárias por garrafa. As uvas são colhidas manualmente em caixas de 18 a 20 kg, é realizada uma seleção de cachos, depois eles passam para o desengace e posteriormente para uma seleção de grãos. As bagas são prensadas suavemente em uma prensa pneumática e passam para desborre a frio durante 36 horas. Depois, o mosto é acumulado e fermentado com leveduras selecionadas em cubas de aço inoxidável a uma temperatura de 14° C. Após a fermentação, o vinho é mantido em contato com suas borras por aproximadamente 60 dias (não se realiza fermentação malolática). Mais tarde é estabilizado, filtrado e engarrafado. Antes de ser lançado ao mercado, é conservado pelo menos 6 meses em câmara de frio. O vinho não é envelhecido em barris de carvalho.

Temperatura de serviço: entre 8°C e 11°C

Harmonização: por sua estrutura e untuosidade, vai muito bem com peixes gordos e carnes brancas de sabores simples e com molhos não muito complexos.

 

Mais detalhes em:

  • http://luigibosca.com.ar/pt/colecciones/vinos-de-terroir/luigi-bosca-riesling-las-compuertas/
  • http://luigibosca.com.ar/wp-content/uploads/terroir_riesling_port_72dpi.pdf

 

Indomita Varietal Cabernet Sauvignon 2011

Indomita Varietal Cabernet Sauvignon 2011

84. Para o preço, um excelente vinho. Razoavelmente equilibrado, sem muitas pontas soltas. Acompanhou o churrasco de sábado numa boa!

Região/Denominação: Vale Central, Chile

Uvas: Cabernet Sauvignon.

Graduação Alcoólica: 13,5%

Elaboração: colheita manual, maceração pré-fermentação entre 4-5°C por seis dias. Fermentação alcoólica tradicional em tanques de inox a 26-27°C. Sete dias de maceração alcoólica. Amadurecimento de dois a três anos na adega.

Serviço: 17°C

Harmonização: carnes vermelhas, pratos temperados e queijos.

 

Mais detalhes em:

  • http://www.indomita.cl/varietal.html
  • http://www.vivino.com/wineries/indomita/wines/varietal-cabernet-sauvignon-2011

 

Quinta dos Garnachos Touriga Nacional 2011

Quinta dos Garnachos Touriga Nacional 2011

84. Vinho correto, mas sem nenhuma personalidade. Fraquinho, parece um adolescente querendo mostrar ao mundo sua presença.

Região/Denominação: Dão

Uvas: Aragonês, Jaen, Touriga Nacional, Alfrocheiro.

Graduação Alcoólica: 13%

 

Mais detalhes em:

  • http://www.vivino.com/wineries/quinta-dos-garnachos/wines/touriga-nacional-2011

 

Campolargo Entre II Santos Tinto 2009

Campolargo Entre II Santos Tinto 2009

85. Aromas de defumado, azeitona preta e frutas maduras. Na boca apresenta álcool desequilibrado, marcando na garganta. Desce um pouco quadrado.

 

Mais detalhes em:

http://www.campolargovinhos.com/vinhos/default.aspx?idioma=pt&idcont=82&title=vinhos-tintos

http://www.vivino.com/wineries/campolargo/wines/entre-ii-santos-tinto-2009

Amayna Sauvignon Blanc 2012

Amayna Sauvignon Blanc 2012

85. Muito correto e equilibrado, porém sem estrutura, intensidade ou persistência. Pelo preço compra-se outros bem melhores.

 

Mais detalhes em:

http://www.vgs.cl/index.php?accion=vinoAmayna_suavBlanc

http://www.vivino.com/wineries/amayna/wines/sauvignon-blanc-2012

Matetic EQ Coastal Sauvignon Blanc 2012

Matetic EQ Coastal Sauvignon Blanc 2012

84. A vinícola é linda, com a bodega no alto de uma colina. A arquitetura é super moderna, os vinhos são biodinâmicos e dá-se muito foco para a produção limitada utilizando apenas as melhores uvas. Gostei muito da vinícola, mas pouco dos vinhos. Esse aqui tem uma acidez ressaltada tornando o vinho pouco equilibrado. Não compraria ele.

 

Mais detalhes em:

http://www.vivino.com/wineries/matetic-vineyards/wines/eq-coastal-sauvignon-blanc-2012

Viña Mar Sauvignon Blanc 2013

Viña Mar Sauvignon Blanc 2013

82. Vinho correto, mas sem nenhum grande atrativo que mereça nota. Algumas nota florais no nariz, desce tranquilo mas não deixa vestígios. A cor é clara como água.

Kadún 2012

Kadún 2012

84. Amarelo palha claro, poucos aromas e estrutura bem simples, apesar de bem equilibrado. Sugerido para acompanhar as ostras do menu degustação que escolhemos, mas como não curto muito ostras, fiquei só no vinho.

Baron Philippe De Rothschild La Bélière Bordeaux 2012

Baron Philippe De Rothschild La Bélière Bordeaux 2012

84. Aroma marcante de maracujá, com toques de abacaxi e maçã verde. Cor palha bem clara, mostrando sua juventude. Na boca, a percepção se confirma: estrutura bem simples, apesar de bem correto e equilibrado. Um vinho bem simples, descompromissado e bem frutado. Degustei-o em um dia bem quente, optando portanto por servi-lo gelado. Resultado: eu e minha esposa matamos a garrafa sem sentir.

Chono Single Casablanca Valley Pinot Noir 2012

Chono Single Casablanca Valley Pinot Noir 2012

84. Correto, mas deixa um pequeno amargor no final de boca. Aromas padrão: frutas do bosque e ameixa. Não senti madeira, e por ser pinot noir, não deve passar em barrica. Único destaque é pra cor que foge do rubi tradicional. Pra faixa dos R$50, tá um pouco caro.

Puech-Haut Blanc 2011

Puech-Haut Blanc 2011

No nariz os primeiros aromas são marcantes: mel e abacaxi. Na boca se mostra muito bem equilibrado, inclusive o álcool, apesar do elevado teor alcoólico para um branco. Ele ainda mostra uma certa untuosidade reflexo de certa estrutura. Preço final um pouco caro: por volta de R$180.

Monte d’Ervideira Private Selection Vinho Tinto 2009

Monte d'Ervideira Private Selection Vinho Tinto 2009

Visual de senhor maduro. Conteúdo de adolescente. Rubi com reflexos granado muito bonito. Na boca a acidez se mostra desequilibrado, mas com a oxidação ele começou a espetar menos. Aromas de carvalho e frutas vermelhas marcantes, com aquela agradável sensação de eucalipto refrescando o nariz.

Luigi Bosca Malbec 2010

Luigi Bosca Malbec 2010

Aromas de frutas do bosque, ameixa, especiarias ( com o cravo bem notável), baunilha e chocolate. Álcool passando um pouco, fazendo sentir na garganta. Mas no final é razoavelmente equilibrado.

Aveleda Alvarinho Vinho Verde 2012

Aveleda Alvarinho Vinho Verde 2012

De cor tradicionalmente verdeal, aroma de maçã verde, abacaxi, maracujá, frutas cítricas, capim cortado, hortelã e mel. A acidez característica marca presença, mas com uma estrutura geral muito equilibrada.

Terra Andina Chardonnay 2009

Terra Andina Chardonnay 2009

Aromas de maracujá e abacaxi com toque de manteiga. Na boca é equilibrado, com sabor jovial apesar dos aromas florais já terem ido embora pela força dos anos. Se de fato ele custar na faixa dos R$70, possui relação custo-benefício ruim.